homeless
Settle down with me, cover me up, cuddle me in. Lie down with me and hold me in your arms.
Desculpa se te magoei, decepcionei, não fui bem aquela que você pensava que eu seria. Mas agora nem eu sei quem sou. Na vida a gente faz tantas escolhas, não é verdade? E muitas vezes uma escolha aos olhos do outro é errada. Muitas vezes um caminho aos olhos do outro é tortuoso. Mas eu quero caminhar com minhas próprias pernas, me quebrar se preciso for, me estatelar no chão, me juntar e recomeçar. Sozinha.”
Clarissa Corrêa
Literatura, umas garrafas de cerveja jogadas, idas semanais a um bordel e pedaços de um caderno de poesia. Isso era tudo o que me restava; A vida tão injusta te matou e esqueceu de me levar junto.”
Amsterdã, 1957. 
Eu sei, sou um porre. É muito difícil me aturar. Eu sei que você não tem paciência, mas aguenta mais um pouco. Sei o drama e a confusão que sou, mas não desiste de me entender. Sei que dá vontade de me mandar embora, de me jogar em meios aos lobos, mas espere… Não faça isso, por favor! Se for para me jogar em algum lugar, que seja embaixo dos teus abraços e diga que apesar de tudo, eu sou inesquecível.”
Jô Costa. 
Eu não tenho a mínima ideia de como você está agora, mas gostaria que estivesse sorrindo, sorrindo ao máximo, sorrindo para dar aquela dorzinha gostosa na bochecha. E que estivesse bem, por favor fique bem, fique muito bem, se cuida em dobro, por mim e por você. Há alguém aqui que se importa muito, e esse alguém costuma chorar de vez em quando por saudades suas, mas sei que um dia tudo vai dar certo.”
Gabriel Souzza. 
Seja ridículo, mas seja feliz e não seja frustrado. Pague mico, saia gritando e falando o que sente, demonstre amor. Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais. Não se importe com a opinião dos outros. Antes ser um idiota para as pessoas do que infeliz para si mesmo.”
Arnaldo Jabor.