homeless
Settle down with me, cover me up, cuddle me in. Lie down with me and hold me in your arms.
Passaria um dia inteiro apenas olhando nos teus olhos, observando seu sorriso e ouvindo sua voz. Acredite, eu não me cansaria.”
João Pedro Bueno.  (via velhice)
A morte está sempre um passo à frente na vida. Sempre nos mostrando elegância e educação. Ela costuma chegar do nada, lentamente ao decorrer de cada noite. Se camuflando aos poucos de acordo com a escuridão e a solidão. Maltratando sem dó nem piedade. Nos chamando para dormir com ela, durante toda a eternidade. Não há nada pior do que ter que esperar pela morte todos os dias. Pelo simples fato de saber que não tenho capacidade de tirar a própria vida.”
zebukowski   (via oxigenio-dapalavra)
aí você curte a foto da pessoa e ela acha que você quer dar uns beijos nela kkkkkkkkk to querendo mesmo
E quando eu digo que já não a sinto aqui, ela vem relutante me dizendo aquelas doces mentiras e eu as aceito sem questionar. Aprendi uma vez que as perguntas são perigosas demais, embora sejam as respostas que me aterrorizam.”
Chaos  (via tragarocaos)
Procure dividir-se em alguém, procure-me em qualquer confusão. Levanta e te sustenta e não pensa que eu fui por não te amar.”
Los Hermanos. (via quoteiros)
Não sai de mim
O teu jeito morno de manhã,
A tua calma fraquejada
E sã.
Tua lentidão de ser
Sempre um pouco mais veloz.”
Por que eu existo? Existirá um motivo por detrás disso? Ou tudo aquilo que falam sobre ninguém vir a mundo em vão é a maior das mentiras? Porque, bem, sabe-se que o ser humano tem a vazia necessidade de dar uma explicação para tudo a fim de justificar sua inútil e desnecessária existência, uma espécie de ilusionismo barato, onde o próprio mentiroso tem a necessidade de ser apegar cegamente a sua mentira, tomando-a como verdade inquestionável, um lema para sua miserável vida. Sou condenada a viver uma vida que não escolhi por toda a eternidade? Bom, espero que não. Espero que a eternidade seja só mais uma dessas ilusões criadas pelo próprio ser humano para alimentar o seu ego, pois assim, esse meu tormento poderia ter um fim. Mas não quero fantasiar nada, inventar coisas para consolar a mim mesma de forma a acender a chama da esperança para algo que talvez nunca vá acontecer. Não desejo sonhar porque o futuro é incerto e eu já cai demais, as marcas estão aqui, comigo, e não me deixam esquecer o quanto sonhar pode ser perigoso. A vida me dói, e tudo é tão vago. Inclusive, eu.”
Desnorteios.   (via rehashh)